Confira uma redação 980 no Enem 2019

Atualizado: Abr 2


A redação a seguir é do aluno Vinicius Mattos (@viiniciusmattos)



Na canção ‘‘Sobrevivente’’, o ‘‘rapper’’ Gabriel, o Pensador critica a perpetuação dos desafios socioculturais enfrentados pelas minorias na sociedade brasileira. Nesse sentido, a democratização do acesso ao cinema, apesar de ser garantida pela Constituição Federal, é ineficiente. Desse modo, seja pela escassa atuação governamental, seja pela falta de reivindicação social, fazem-se prementes alternativas que mitigem essa problemática no país.

Em primeiro plano, observa-se que o Estado não promove, de maneira eficiente, o acesso à cultura no Brasil, principalmente ao cinema. Nesse âmbito, o filósofo contratualista inglês Thomas Hobbes afirma que é obrigação do Poder Público garantir o bem-estar da população. Entretanto, esse fato não ocorre no contexto nacional, uma vez que políticas públicas que possibilitam a ida de brasileiros às salas de cinemas são, praticamente, inexistentes. Dessa forma, se o governo não trabalha para resolver esse grave impasse, os segmentos marginalizados, sobretudo os moradores de periferias e de cidades do interior, continuarão a sofrerem com a exclusão nesses espaços. Outro fator determinante da pouca democratização do acesso ao cinema na realidade brasileira é falta de reivindicação da sociedade. Sob esse viés, a filósofa alemã Hannah Arendt criou o conceito de ‘‘responsabilidade coletiva’’, em que todos os indivíduos em uma comunidade são coletivamente responsáveis pelo que o Estado faz ou não em seus nomes. Nessa lógica, se o tecido social permanece estático diante dos problemas socioculturais, a naturalização desses desafios é inevitável. Depreende-se, dessa maneira, a ampliação dessa forma de lazer não depende apenas do governo, mas também da população. Diante desse quadro, são necessárias ações que atenuem a problemática da democratização do acesso ao cinema no Brasil. Portanto, cabe ao Ministério da Cultura – como responsável pela efetivação do acesso à cultura na nação – incentivar a ampliação de salas de cinema no país, por meio de parcerias público-privadas com empresas exibidoras de filmes para a construção de ‘‘cinemas sociais’’ nas periferias e em cidades do interior, em que os ingressos sejam a preços populares. Essa iniciativa tem como finalidade promover o acesso de minorias a essa forma de lazer. Somado a isso, cabe à sociedade organizar-se, juntamente com ONGs dos direitos humanos, para cobrar do Poder Público a democratização do acesso ao cinema no país. Com isso, a perpetuação de barreiras socioculturais, com criticadas por Gabriel, o Pensador, será atenuada.

DISTRIBUIÇÃO DAS NOTAS POR COMPETÊNCIAS Competência 1 - 180 Competência 2 - 200 Competência 3 - 200 Competência 4 - 200 Competência 5 - 200 Total: 980.




105 visualizações

REDES SOCIAIS

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Propostas de Redação © 2015 - 2020
Todos os direitos reservados. Teófilo Otoni, Minas Gerais, Brasil.